Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Tudo pode ser tirado a um homem, menos uma coisa: a possibilidade de escolhermos a nossa atitude em quaisquer circunstâncias

o-proposito-da.jpg

Às vezes pensam que tenho Colite Ulcerosa há meia dúzia de dias, quando na realidade já a trago comigo há mais de uma década. E surge o espanto, a admiração. Mesmo de pessoa que me conhecem há alguns anos. Parte da razão é porque só nos últimos anos comecei a falar abertamente sobre esta condição, a escrever no blogue sobre a situação e a ser activa nas redes sociais neste tópico. 

 

Quantos de vós estariam dispostos a falar em público sobre a vossa condição? Incluindo as vezes que tiveram "acidentes" por não chegarem a tempo ao wc ou porque nem havia um wc por perto? Quantos de vocês estariam dispostos a ouvir um "que exagerada!" , "que pessimista!" ou "estás sempre a queixar-te"? Se eles soubessem o que é normal para um doente com Crohn ou Colite Ulcerosa, certamente mudariam as expressões para "o que posso fazer para te ajudar", "estou aqui para te ouvir" ou "diz-me o que precisas que eu ajudo". 

 

A ignorância em torno destas doenças são mais que muitas e por vezes a informação que circula on-line não é exactamente das melhores. Quando me cruzo com um recém diagnosticado, as dúvidas são mais que muitas, o medo, o receio, a ignorância sobre o que é e o que implica uma doença deste tipo. Alguns chegarão a conhecer o lado muito negro que Crohn ou Colite Ulcerosa podem ter. Outros terão mais sorte. 

 

Quando lancei a petição que está para recolha de assinaturas, não foi propriamente a pensar em mim como destinatário das medidas propostas. Até porque, como é sabido e de conhecimento público, eu não vivo em Portugal. Mas.... no meio de tanta coisa má e dolorosa da Colite Ulcerosa, a minha forma de gerir tudo o que implica, é torná-la em algo positivo. É dar-lhe um propósito, um sentido. 

 

Não sei se conseguirei mudar a vida de alguém, de tornar o mundo de alguém menos penoso. Mas sei que darei o meu melhor na tentativa que isso aconteça. E para dar o meu melhor, preciso que tu que leste até aqui, assines a petição aqui, com nome completo e número do cartão de cidadão. Insignificante para ti? Talvez. Mas significa muito para mais de 20 mil pessoas em Portugal e mais de 6 milhões no mundo. 

 

A ti que assinaste, obrigada! Bem haja!

 

O sentido da vida é o sentido que damos a ela.

O ser humano é capaz de se adaptar a condições que ele nem imagina.

Propósito é algo bem mais simples e quotidiano do que a ideia de grandiosidade e nobreza que o senso comum propaga.

in, Um Homem Em Busca de um Sentido, de Viktor Frankl

 

9 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Onde compro livros

Blogs de Portugal

Bloglovin