Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Já agradeceram a alguém hoje?

7ba6e92702a26ac967f81c7aec877428.jpg

 

Hoje é o Dia Internacional do Obrigado. Sinceramente, estou grata a tanta gente que creio não conseguir enumerar todos num singelo post aqui nos Escadinhas. 

Obrigada a todos os meus amigos e desconhecidos que embarcam nas minhas ideias alucinantes para tentar mudar o mundo, ou pelo menos tentar deixá-lo bem melhor e que não hesitam sequer em ajudar quando lhes peço;

Obrigada à minha familia que me atura, ajuda e está sempre lá com um abraço naqueles dias menos bons;

Obrigada ao Mais Que Tudo que me apoia nas minhas lutas e que garante que também cuida de mim (agora até o cão anda a controlar-me pá!)

Obrigada aos que por aqui passam, aos que manifestam o seu apoio, aos que me motivam para continuar, os que me fazem sorrir em dias mais cinzentos, aos que acreditam em mim, aos que me lêem, aos que espalham a palavra, aos que se preocupam, aos que não julgam, aos que sentem as minhas dores e alegrias; 

A todos, o meu mais profundo e sincero: OBRIGADA!

 

5 razões pelas quais me lembrarei 2018 para sempre

1514401164-2018.jpg

 

2018 foi um ano inesquecível. Foi um ano em que não parei 1 segundo, que conheci novas cidades, novas pessoas e comecei projectos que são muito maiores do que eu. Confesso que não sei como o corpinho aguentou tanta viagem, tanta canseira, e tanta ida ao hospital sem fechar para obras. Mas aguentou-se! E eu tive um ano espctacular! Senão vejamos:

 

 

5 dicas para saber mais na Vida

citção.PNG

 

Não foi uma nem duas nem três vezes que alguém me achou uma sabichona. E já perdi a conta às vezes que me disseram que sou uma Wikipédia Humana. E muitas mais vezes foram aquelas em que me senti um posto de informações. Sinceramente... não me ofendem e lamento que de certa forma se sentiram intimidados por isso em vez de terem preferido uma conversa ou troca de ideias.

Na verdade, aos 11 anos era a única na escola com autorização para trazer mais livros da biblioteca da escola para casa do que o permitido; cheguei a ser castigada pelos meus pais porque até à escuras lia (não era por ler, era mesmo pela forma compulsiva que o fazia), e sempre fui vista como um rato de biblioteca. Sempre gostei de aprender e saber mais, os meus pais sempre me incentivaram a isso. Além disso, rodeei-me sempre de pessoas com origens diferentes, formas de pensar e ver a vida diferentes e com saberes diferentes.

Nos dias que correm, a minha sede de saber e aprender é alimentada de diversas formas:

 

 

Das revoluções e o meu sorriso de orelha a orelha

images.png

 

 

“Sabeno dizia que as revoluções deviam ser feitas não por aqueles que têm tudo a perder, mas por aqueles que não têm nada a ganhar”

 

Durante as minhas férias, li esta frase no livro do Afonso Cruz que finalmente consegui começar a ler. E sorri. Assim de orelha a orelha!

O meu médico em Bruxelas chama-me a mãe da revolução das DII em Portugal por todas as coisas que tenho feito, sobretudo neste último ano. Com digo no livro, eu e ele temos uma espécie de acordo: ele mantém o meu corpo funcional; eu mudo o mundo de muita gente.

Desde que a petição foi lançada no início do ano, já tive pessoas que insinuaram muitas coisas: que eu quero é fama; que eu quero é dinheiro; que eu quero é protagonismo, bla bla bla. Confesso que até me cheguei a chatear e ser de

 

Há uma primeira vez para tudo e nunca é tarde demais!

maxresdefault (1).jpg

 

 

 

No momento em que escrevo este post, sou eu que estou numa sala de espera. Para variar, quem vai fazer uma colonoscopia/ endoscopia é a minha mãe. Digam o que disserem: A melhor mãe de sempre! E é estranho. Em mais de 10 anos de Colite Ulcerosa e no maravilhoso mundo das Doenças Inflamatórias do Intestino, sou eu na sala de espera. 

 

 

Do fracasso

failure-edited.jpg

 

É impossível viver sem fracassar em alguma coisa, a menos que vivamos de forma tão circunspecta ao ponto de não termos vivido uma vida plena, e nesse caso, fracassamos por omissão. 

(...)

O fracasso ensinou-me coisas acerca de mim própria, que eu nunca poderia ter aprendido de outra maneira. Descobri que tinha uma forte vontade e mais disciplina do que eu imaginava; descobri também que tinha amigos cujo valor era verdadeiramente acima do preço de um rubi. 

 

in Uma Vida Muito Boa, J.K. Rowling

Como um lema de vida!

photos-of-people-holding-hands-6934.jpg

 

 

Se escolherem a vossa condição e a vossa influência para erguerem a vossa voz em nome daqueles que não têm voz; se escolherem identificar-se não só com os poderosos mas também com os que não têm poder; se mantiverem a capacidade de se imaginarem nas vidas daqueles que não usufruem das vossas vantagens, então não serão apenas as vossas orgulhosas famílias a celebrar a vossa existência, mas também milhares e milhões de pessoas cuja realidade vocês ajudaram a mudar. Não precisamos de magia para transformar o nosso mundo; nós temos o poder que necessitamos dentro de nós: temos o poder de imaginar melhor. 

 

in Uma Vida Muito Boa, J.K. Rowling

3 pontos essenciais a reter do Yoga

yoga-poses-628x363-TS-117703611.jpg

 

 

Há mais de duas semanas que ando a esticar-me e torcer-me e a contorcer-me com o yoga, tal como expliquei aqui. Estou orgulhosa de mim: tenho sido regular, o que no meu caso, mestre mor na preguiça no exercicio, é muito bom. Contudo, consoante a prática aumenta, vou tirando algumas ilações:

 

1) Seres do outro mundo

Se o Marylin Manson tirou uma ou duas costelas para fazer broches a ele próprio: é um menino. A tipa que passa no

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Onde compro livros

Blogs de Portugal

Bloglovin