Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

30 de Janeiro, 2018

Por terras de 1001 noites - Parte I

Vera Gomes

Há bastante tempo que andei a adiar a escrever sobre uma das viagens mais inesquecíveis que fiz em 2017: Jordânia. Bom, também fui a Israel na mesma viagens, mas foi Jordânia que me conquistou de uma forma arrebatadora. As pessoas, os lugares, a história, ou talvez aquele misticismo das mil e uma noites. 

 

Foi um circuito de 9 dias em que visitamos os pontos de maior interesse: Jerash, Petra, Dana, Wadi Rum, Aqaba. Claro que também foi incluindo outros pontos, mas estes são para mim aqueles que é obrigatório ver. 

 

  • Jerash

É uma cidade de mais de três mil anos de história, localizada no norte da Jordânia, não muito longe de Amã. As ruínas

romanas estão com um excelente estado de conservação e demonstram o quão sofisticada a cidade era. Incluindo... sistema de esgotos!!!! Sem sombra de dúvida um local a visitar, com guia! Almoçamos num restaurante perto das ruinas, a uns 5m de carro, onde comi o melhor pão arabe da minha vida. Feito na hora, com uma vista muito simpática. 

 

 

 

 

  • Petra

Bom... creio que Petra dispensa apresentações! O Indiana Jones fez um trabalho bastante bom. Conselho: quando visitarem Petra entrem no recinto beeeem cedinho, roupa confortavel (a certa altura nos trocamos de calças para calções e foi uma excelente ideia levá-los na mochila), e preparem-se para andar muito. Se a vossa forma física não é das melhores, preparem-se para a viagem porque para chegar a alguns pontos de Petra pode ser um deafio físico upa upa. 

 

 

 

  • Dana

Ok... ADOREI Dana! Dana não é propriamente nada de especial para se ver. São meia dúzia de casas no topo de uma montanha que é uma reserva natural. Aos vossos pés, um vale magnifico, daqueles de cortar respiração. Fizemos uma caminhada de um pouco mais de duas horas com um guia local, que além de ser uma simpatia, mostrou que com 65 anos estava pronto para dar uma abada num adolescente cheio de energia. As fotos falam por si.... fiquei com vontade de voltar e fazer a caminhada que desce a montanha. 7hde caminhada. Acima do nível do mar, abaixo do nível do mar. Ficou anotado na minha lista de coisas a fazer.

 

 

 

  • Wadi Rum

Quem for à Jordânia e não dormir uma noite no Wadi Rum, é um ovo podre. Existem vários tipos de acampamentos e só se entra no deserto com uma berbére (e percebe-se porquê). O pôr do sol é magnifico, o nascer do sol a preguiça falou mais alto. Preparem-se para rever a vossa definição de silêncio e de humanidade. Wadi Rum é mágico e ficamos com vontade de voltar, mas para ficar mais tempo. Sem rede de telemovel, sem internet e em silêncio. 

 

 

 

  • Aqaba

O ponto onde se consegue ver o Egipto, Israel e um mar transparente. Nós optamos por simplesmente relaxar e não fazer nenhum porque já andavamos em viagem há mais de uma semana e o corpinho estava a pedir descanso. Contudo, actividades não faltam quase todas elas dedicadas ao mar: snorkeling, passeios de barco, mergulho, etc. O que nos ficou na mente foi uma caminhada num ponto entre Aqaba e o Mar Morto que é num leito de um rio. Só se consegue fazer em determinadas alturas do ano que é quando o rio está quase seco. Mais um que ficou anotado na lista de coisas a fazer. 

 

 

 

  • Mar Morto

Claro que o Mar Morto é um ponto obrigatório a ir. Acham que me tinha esquecido deste, não? Bom, sinceramente muito fixe, muito giro, mas não gostei assim tanto quanto os outros mortais: não há propriamente praia e para se entrar na água está tudo cheio de pedras (senão é só lodo). Isto significa que têm que levar alguma coisa calçada senão os pézinhos sofrem. A cabeça tem que estar seeempre fora de água, senão os olhos ardem como se não houvesse amanhã. Houve uma parva que resolveu mergulhar e o salva vidas ao tentar safá-la do que se avizinhava, salpicou agua para os meus olhos. Em vez de uma, teve que ajudar duas. Contudo, não deixem de experimentar. O Mais Que Tudo adorou e tirá-lo da água foi um martirio. Eu lá me besuntei de lama do mar morto que dizem ter propriedades medicinais, mas a única coisa que posso assegurar é que deixa a pele macia. Mesmo macia. 

 

 

 

Confesso que fui um bocadinho receosa da minha tripa, e sempre a pensar "oh meu deus e se não há uma casa de banho a tempo". Claro que quando escrevi a petição que está a circular para recolha de assinaturas, a questão do wc tinha que ser incluída. Afinal, malta com problemas constante de tripa também tem direito a sair de casa, não?

 

Correu bem, divertimo-nos imenso e ficamos com vontade de voltar.E iremos voltar! :) 

Qual a vossa viagem que vos marcou de tal forma que ponderam voltar?

 

P.S.: Fiquem atentos! Amanhã sai a parte II ;)

 

1 comentário

Comentar post