Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

17 de Abril, 2018

Para se estar doente, é preciso ver?

Vera Gomes

desenho Sara.jpg

 

O essencial é invisível aos olhos. Saint Éxupery escreveu e com toda a razão. Nos dias em que correm, esta frase tem muito mais no seu significado do que apenas aquilo que os olhos não vêm (e por isso o coração não sente). Doenças invísiveis também não se vêm com os olhos, mas com todas as moléculas do nosso corpo. Invísivel a quem olha, mas não vê. E como não vêem não compreendem, não aceitam e a maioria das vezes até dúvidam. Uma espécie de S. tomé para crer. 

 

As Doenças Inflamatórias do Intestino são assim mesmo: invísiveis, incompreendidas, ignoradas. Como a Andreia disse várias vezes, não são os nossos olhos que têm que mudar, são os dos outros. Os outros que não têm Crohn nem Colite Ulcerosa, nem uma vida pela frente de médicos, hospitais, medicamentos. Uma vida pela frente feita de sacrificios e de escolhas nem sempre fáceis; uma vida de riscos acrescidos na esperança que os benefícios os compensem. Uma espécie de Deus perdoa o mal que faz pelo bem que sabe. Mas em maior, percebem?

 

O desenho acima, feito pela Sara Rodriguez, a Sarita como gosto carinhosamente de lhe chamar, mostra bem a diferença de vida entre quem tem Crohn ou Colite Ulcerosa e o Zé Povinho que não tem uma doença inflamatória do intestino. Abram os olhos, percebam a diferença e aceitem-na. Sem julgamentos, sem preconceito, criticismos. Afinal de contas, cada um tenta fazer o melhor para si, não é?

 

 

créditos ilustração: Sara Rodriguez

1 comentário

Comentar post