Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

13 de Março, 2018

O que significa estar em remissão?

Vera Gomes

remissao.JPG

 

 

É oficial desde finais de 2017, confirmada no inicio de 2018: estou oficialmente em remissão total. Significa ausência de qualquer sinal de inflamação nos exames biológicos (sangue, fezes), marcadores da doença negativos, biópsias sem sinais de inflamação, parede do intestino i-m-p-e-c-a-v-e-l! A sério: até dá gosto ver (E digo-vos por vi o antes e o depois!) 

 

Remissão significa coisas diferentes consoante os pacientes. Ao longo dos anos conheci pessoas que tomavam o mais básico dos medicamentos para DII, tiveram uma crise na vida, comiam de tudo e mais alguma coisa e estavam impecáveis. Conheci outros que apesar de todos os tratamentos possíveis e imaginários, não conseguem uma remissão completa, o que implica valores de inflamação sempre presentes e um dia a dia mais complicado. Mesmo doentes que fizeram cirurgia, uns impecáveis outros

nem por isso.  

 

Claro que isto são os extremos. Eu considero-me estar no meio termo. Que quer isto dizer? Bom, há aqueles que conseguem remissão, mas precisam de continuar com um cocktail de medicação para a manter. Que mesmo em remissão têm que evitar alguns alimentos caso contrário as visitas ao wc aumentam. Que mesmo sem razão aparente as idas ao wc são por vezes mais frequentes do que desejável e que as diarreias continuam a fazer parte do dia a dia regularmente.  

 

Mas não é só isto: mesmo sem anemia, a fadiga continua lá. As dores nas articulações, os problemas de pele. O intestino está sossegado, o sistema imunitário suprimido, mas o corpo continua em luta. Apenas, numa luta com um volume baixinho em vez de estar aos altos berros.  

 

Depois claro, a medicação tem sempre efeitos secundários possíveis, que um paciente pode desenvolver e outro não. Dois doentes com a mesma medicação podem ter respostas tão opostas que por vezes até parece algo doutro mundo.  

 

E por isso que remissão significa coisas diferentes para cada um de nós. E se já não é fácil compreender ou aceitar uma doença invisível, torna-se ainda mais difícil entender que remissão não significa que as idas ao hospital, que a medicação diária e os exames médicos regulares terminem.  

 

Eu estou em remissão. Assim aquela super impecável, E de dia 1 de Janeiro de 2018 a 2 de Março de 2018 inclusive, tive: 5 consultas médicas, 10 sessões de fisioterapia, 3 exames médicos e 1 sessão de tratamento no hospital de dia. Ate ao fim de Março tenho 1 consulta médica, 1 exame médico e 1 sessão de tratamento no hospital de dia. Tenho dores nas articulações e costas diariamente, tenho a cara em obras que habilmente tapo com maquilhagem, e tomo medicação diariamente. Esta é a minha remissão.  Qual é a vossa? 

 

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.