Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

06 de Maio, 2020

Como é que foi o vosso dia?

Vera Gomes

Post para Instagram Simples Minimalista.png

 

Tem dias que não apetece fazer um corno. A malta levanta-se a custo, arrasta o corpo até ao chuveiro, toma banho, sente dor aqui e acolá. O cérebro continua numa névoa que até parece que D. Sebastião vai aparecer a qualquer momento. E assim vamos sobrevivendo ao longo do dia.

 

Outro dias, acorda-se cheia de energia e motivação para fazer coisas. Salta-se da cama, aprecia-se o banho, e nem a dor aqui e acolá incomada tão boa energia. Senta-se em frente ao computador e as ideias fluem, a obra nasce e o sonho acontece.

 

Depois há outros dias que são os dias mnhé: nem carne, nem peixe. Sai-se da cama porque tem que ser; toma-se banho porque parece mal não o fazer; a dor está ali mas nem aquece nem arrefece. Cumpre-se os serviços minimos, troca-se uma ou duas ideias, tem-se a sensação de dever cumprido.

 

Hoje foi um dia desses. Mas confesso que devo ter batido com a cabeça no chuveiro porque decidi encetar uma luta contra mim própria: ignorei a dor, a apatia e o marasmo. Tomei banho, penteei-me, pus perfume. Vesti-me. Vesti-me como se tivesse um sitio melhor para ir do que ser ficar por casa a trabalhar. Liguei o pc (os dois aliás: o pessoal e o de trabalho). Li emails, e tive reuniões enquanto bebericava o meu chá. Fui fazendo checks na minha lista de coisas a fazer para o dia. Sem euforia, sem fogo de artificio. Apenas fazendo.

 

IMG_20200506_110239.jpg

 

Sorri pelo facto de ter vestido roupa nova a uma quarta feira quando a minha única actividade fora de casa foi levar o cão à rua por dez minutos enquanto outros dormiam. Sorri, porque tinha a camisola há meses à espera d eum dia de sol. Pensei que quem espera sempre alcança. Lembrei-me que até é bom não ter que sair de casa porque assim não ando stressada à procura de uma casa de banho. Sorri novamente e pensei que a vida por vezes nem é carne nem é peixe. E que essa neutralidade também tem em si algo de bom e pacifico.

 

Não foi um dia triste. Não foi um dia eufórico. Foi um dia pacificamente bom.

 

 

 

1 comentário

Comentar post