Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

02 de Dezembro, 2017

As 50 sombras da fadiga

Vera Gomes

Collage 2017-12-02 17_39_22.jpg

fa·di·ga 
(derivação regressiva de fadigar)

substantivo feminino

1. Cansaço que resulta de um esforço qualquer (ex.: fadiga físicafadiga mental).

2. Trabalho árduo. = CANSEIRA

3. [Física]  Diminuição gradual da resistência de um material ou equipamentodevido ao uso continuado ou a esforços repetidos. = DESGASTE

"fadiga", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, https://www.priberam.pt/dlpo/fadiga [consultado em 02-12-2017].

 

Claramente o Priberam deveria actualizar o significado de fadiga. Para quem sobre de Doença Inflamatória do Intestino, fadiga é uma forma de vida. Em crise ou em remissão, a fadiga faz parte dos sintomas extra-intestinais que não se vai embora. Claro que quando se está em remissão melhora mas não se vai embora. Sabem aquela sensação de acordar depois de uma noite mal dormida que até custa abrir os olhos? Pois bem, essa é a sensação diária mesmo depois de 8h de sono na paz do Senhor. 

 

As fotos acima ilustram os meus dois últimos anos. Não importa a altura do ano, se estou em remissão ou não, certo é que esta é a faceta que apenas o Mais Que Tudo vê porque normalmente acontece quando estou em casa: sentir-

me exausta e adormecer no sofá, no carro, até em concertos. Não importa se é Verão, Inverno, Outono ou Primavera. Não importa se tomo suplementos nutricionais, se faço exercício ou se faço repouso. Não é preguiça, hiponcondrismo ou manias. Não importa se dormi até ao meio dia, ou se me levantei às 6 da manhã. Se passei o dia sentada ou em movimento. Colite, Chron e as amigas associadas deixam-nos assim: num estado de cansaço permanente.

 

Claro que em fases de crise a fadiga está ainda mais acentuada, normalmente porque as crises trazem outros problemas associados como a desnutrição, anemia e vá, convenhamos: o corpinho está todo parido por se estar a atacar a si próprio. Em remissão a coisa melhora, mas cansamos-nos sempre mais depressa do que uma pessoa normal e precisaremos de descansar mais vezes do que qualquer comum dos mortais. 

 

No fundo gerimos o nosso dia com base na teoria das colheres (Spoon Theory). O que é a teoria das colhers? Bom, cada colher equivale a energia que s tem para fazer as actividades rotineiras do dia a dia. Por dia temos um número limitado de colheres. Cada actividade requer um determinado número de colheres para ser executada. E claro, se esgotar as colheres de hoje, estará a usar as colheres de amanhã! Fica um desenho. Para perceberem melhor:

fd6a0b9306bea4eb33c76f2f4578481b.jpg

Cada vez que adormeço, significa qu usei as minhas colheres todas e tenho que recarregar. Umas vezes consigo durar um dia inteiro e só adormecer depois do jantar. Outros dias, adormeço mal chego a casa. POr isso acreditem, cada vez que estou convosco é mesmo porque quero muito estar. E cada vez que cancelo é mesmo porque tenho que descansar. E lidar com o facto de admitir a mim própria que preciso de parar para cuidar de mim e por isso não posso estar convosco. 

 

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.