Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

9 manifestações dermatológicas das Doenças Inflamatórias do Intestino (DII)

24301038_1460449007410129_3447935546126030070_n.pn

"Um mal nunca vem só", já diz o Zé Povinho. E as Doenças Inflamatórias do Intestino (DII) não são excepção. Por isso, quem tem Crohn ou Colite Ulcerosa, vê-se a certo momento com manifestações noutras partes do que corpo para além do intestino. Na verdade, e para ser mais exacta: 1 em cada 3 doentes, têm uma manifestação extra intestinais, quer seja dermatológica ou reumatológica. 

Hoje vamos focar-nos nas manifestações dermatológicas. Os problemas de pele estão em segundo lugar entre as complicações extra intestinais mais comuns da DII. Afectam cerca de 5% das pessoas portadoras da Doença Inflamatória do Intestino
 

Entre os problemas de pele mais comuns causados pela DII estão:


Eritema Nodoso: o nome literalmente significa nódulos vermelhos. Esses nódulos endurecidos e avermelhados, que normalmente aparecem nas pernas e, às vezes nos braços, ocorrem tanto na Colite Ulcerosa como na Doença de Crohn. O eritema nodoso geralmente aparece juntamente com uma crise da DII, mas também pode ocorrer um pouco antes de uma crise. A tendência é que o eritema desapareça quando a doença estiver novamente sob controlo.

Pioderma Gangrenoso: esta complicação da DII é caracterizada pela presença de pus na pele, associada à úlceras profundas. Assim como o eritema nodoso, o pioderma gangrenoso afecta mais frequentemente as canelas e os tornozelos, podendo afetar os braços também. O pioderma surge como pequenas bolhas que se unem, formando uma úlcera crónica profunda. Essa complicação ocorre com mais frequência em portadores de COlite Ulcerosa (5%) e com menor frequência nos portadores da Doença de Crohn (1%).

Fístulas Enterocutâneas: uma fístula é um pequeno canal que conecta duas partes do corpo. Uma fístula enterocutânea é um canal anómalo que conecta o intestino à pele, normalmente ligando o reto à vagina, bexiga ou nádegas. A fístula também pode ser uma complicação de uma cirurgia. Este tipo de fístula pode vazar pus ou material fecal. As fístulas ocorrem em aproximadamente 30% dos pacientes de Crohn. O tratamento depende do local e da gravidade das fístulas.

Plicomas: os plicomas são muito comuns em pessoas com a Doença de Crohn. Desenvolvem-se em torno do ânus. Quando o inchaço diminui, a pele em volta fica mais espessa e forma pequenas pregas. A matéria fecal pode ficar retido nessas pregas, irritando a pele. A prática de uma boa higiene ajudará a reduzir o desconforto e aliviar a irritação. A remoção cirúrgica dos plicomas deve ser evitada.

Fissuras anais: as fissuras são pequenas rachaduras no revestimento do canal anal. Elas podem sangrar, causar dor e coceira. Banhos mornos de imersão e pomadas tópicas podem ajudar.

Estomatite aftosa (afta): essas pequenas erupções bucais, também conhecidas como aftas, são frequentemente encontradas entre as gengivas e o lábio inferior, ou ao longo dos lados ou base da língua. Normalmente ocorrem durante as crises agudas da doença e geralmente desaparecem à medida que a doença é controlada.

Existem contudo outro problemas de pele mas que são pouco comuns na DII:

Acrodermatite enteropática: Os casos graves de DII podem produzir outras doenças de pele associadas a deficiências nutricionais. Por exemplo, as pessoas que têm diarreia crónica podem eliminar zinco juntamente com as fezes. Esta deficiência de zinco pode levar à acrodermatite enteropática, uma erupção escamosa que geralmente aparecem no rosto, nas mãos, pés e períneo. Várias deficiências de vitamina também podem produzir manifestações na pele, tais como sangramento, inchaço das gengivas e erupções escamosas. Estes problemas são menos comuns hoje em dia por causa da crescente atenção em relação à importância da boa nutrição nos casos de doenças crónicas como a DII.

O Vitiligo (marcado por áreas de reduzida pigmentação) e a Psoríase (uma doença é uma doença autoimune de longa duração caracterizada por manchas na pele e sem cura) e o ou Hipocratismo digital (doença em que a pele sob as unhas fica espessa) são associados, por vezes, à DII. As duas primeiras doenças podem responder a tratamento tópico e medicação oral. No entanto, não há tratamento para o Hipocratismo Digital. 

Reacções à Medicação: em alguns casos um problema de pele não é o resultado da DII, mas de medicação usada no seu tratamento. Por norma, o problema desaparece quando o doente para a medicação que causa o problema. A Sulfasalazina, por exemplo, pode produzir um tipo de erupção semelhante a alergia, na pele. A reacção é atribuída ao Sulfa, um componente deste agente principio activo. Os esteroides (dos quais a vulgar "cortisona" faz parte) também podem causar problemas de pele quando usados a longo prazo. Entre eles estão incluídos: estrias, afinamento da pele, aumento da acne, inchaço do rosto (efeito "lua cheia"), inchaço dos tornozelos e um tempo mais longo para cicatrização de feridas. 

Fonte: www.gediib.org.br/Publicacoes/DII/detalhe/31?portal=publico

 

P.S.: O Escadinhas é finalista no Sapos do Ano na categoria de Saúde. Para votarem, basta ir aqui, inserirem o vosso email e seleccionar 'escadinhas.blogs.sapo.pt". Podem votar com mais de que um email e não se esqueçam de partilharem entre os vossos contactos para que eles também votem. Sem o vosso voto, as DII continuarão a ser desconhecidas por muitos!

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Blogs de Portugal

Bloglovin