Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

06 de Setembro, 2005

A calçada Lisboeta

Vera Gomes

No seguimento do post de ontem e dos comentários do Cidadão Preocupado, hoje vou falar-vos da calçada lisboeta.


A calçada lisboeta é um motor da economia dos sapateiros e da empresa fabricantes de capas. Porquê? - Perguntam vocês. Porque nós mulheres com os nossos magnificos saltos altos que ficam presos no meio das pedras da calçada temos de estar sempre a levar os sapatos, as sandálias, as botas ao sapateiro para arranjar. Caras amigas, creio que deveriamos fazer um protesto. A calçada lisboeta não promove a feminidade! Como espera o Santana Lopes e o Carmona que nós, mulheres do século XXI sejamos ainda mais femininas, se nos obrigam a privar de um instrumento extremamente importante para garantirmos olhares na rua para o nosso andar sensual? Sim, porque o que nós temos agora é um andar medroso, cauteloso e não o andar firme, sensual, decidido, autoritário que faz os homens delirar.


Um outro factor a ter em consideração é o efeito psicológico da vergonha de se ficar com um salto preso na calçada. Consequência: ou o sapato fica lá e damos dois passos descalças, ou ficamos encravadas naquele pedaço de calçada. Depois vem a parte em que temos de nos baixar para retirar o salto... e toda a gente das populosas ruas de Lisboa nos vêem!


Caro Cidadão Preocupado, diga-me então se a calçada lisboeta não é também um bravo motor da economia!

2 comentários

Comentar post