Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

13 de Dezembro, 2005

As coisas que eu vejo...

Vera Gomes
Meus caros amigos,

é com certo saudosismo que vos dirijo novamente a palavra. Mas tendo em conta as minhas experiências quase extraterrestes, tenho de partilhar convosco a última.

Vinha eu do ginásio às 9 da matina (porque agora o meu dia começa cedo e no ginásio), a pensar que teria de pensar que não tinha fome e a planear a jornada de um dia de trabalho, quando o semáforo para os peões passou a vermelho. Ora, lá tive de dar passagem a uma data de carritos, uns com melhor aspecto do que outros. O que me chamou a atenção foi que para além de agora pendurarem Pais Natal em tudo quanto é sítio, de as decorações de Natal abundarem nas fachadas dos edíficios, também esta moda chegou aos carros. É verdade! Esqueçam o tunning! Ao que eu me refiro é muito mais à frente. Lembram-se da moda dos coletes no banco? Esta é muito mais marcante!

Meus caros amigos, estamos a falar de dois barretes de Pai Natal enfiados no apoio de cabeça do banco com umas folhinhas de azevinho em que o cabelo da alegre condutora suavemente acariciava! Mas que raio de moda é esta?! Passou a moda dos coletes e chegou a moda de enfiar o barrete? Será que as decorações de Natal têm funções de prevenção rodoviária, apelando ao espírito Natalício e ao civismo nas estradas portuguesas? Não sei. Mas decerto saberemos depois das operações da Brigada de Trânsito.

1 comentário

Comentar post