Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

09 de Outubro, 2019

6 Dicas para nem notarem que têm restrições alimentares

Vera Gomes

@escadinhas escadinhas.blogs.sapo.pt.png

 

Por causa da minha fofinha Colite Ulcerosa (umas das formas de Doença Inflamatória do Intestino, também conhecida por DII), perguntam-me muitas vezes sobre alimentação. É certo que ao longo dos anos muita coisa mudou, umas vezes com mais restrições do que outras. Agora estou num período de El Dorado em que consigo comer quase tudo sem problemas de maior.

Uma das razões pelas quais mal noto que tenha restrições, é porque o Mais Que Tudo (que adora cozinhar) faz receitas novas todas as semanas. E é isso que irei focar neste post: como ter uma DII e ainda assim ter uma alimentação que nem se lembram das restrições?

 

1) Fazer um menu semanal

Cá em casa sentamo-nos e fazemos um menu para a semana. Jantares, entenda-se, que o almoço é sempre fora de casa e o que, a maioria das vezes, o que sobra do jantar do dia anterior (quando sobra). Confesso que é um hábito que não tinha. Mas o Mais que Tudo, sempre preocupado em alimentação saudável e variada, garantir que reduz o desperdicio alimentar e idas ao supermercado, trouxe o hábito com ele. Claro que isto implica alguma ginástica mental para decidir o que se vai comer nos próximos 6 dias, mas tudo é possível.

 

2) Blogs e sites de culinária

Nos dias em que correm, há imensa informação disponível. Porque não perder algum tempo a explorá-los? Um dos meus favoritos é o Casal Mistério, mas existem muitos outros de onde podem tirar ideias. É claro que numas vezes não dá para seguir exactamente à risca a receita, mas uma adaptação aqui e outra acolá, dá para experimentar. Por aqui nas Escadinhas também vão havendo umas receitas de vez em quando.

 

3) Coleccionar revistas

Há receitas em revistas e jornais que são de acesso gratuito e que têm receitas por exemplo, a publicidade do Lidl, o Metro, a Saúda, etc. Até quando se vai ao cabeleireiro há revistas com receitas à disposição. Basta pedir a página ou tirar uma foto e, voilá!

 

4) Grupos troca de receitas

Há imensos grupos nas redes sociais onde as pessoas trocam receitas e/ ou ideias, como o Gastronomiverso. Porque não inspirarem-se por lá?

 

5) Apps para culinária

Existem várias opções de apps para ter no telemóvel que vos permite ter acesso a um acervo gigantesco de receitas. Ponto positivo: podem consultar em qualquer lado. Podem procurar receitas enquanto estão nos transportes públicos, enquanto estão no wc, etc. Algumas sugestões: Sapo Sabores, n-Receitas da Nestlé, Petit Chef, Petiscos, etc.  Se tiverem alguma outra que não esteja aqui, deixem nos comentários.

 

6) Criar uma base de dados de receitas

Por vezes cruzamos-nos com receitas que vale a pena guardar; outras vezes a receita não é assim tãoooo boa quanto isso; Por isso, porque não guardar as receitas para experimentar mais tarde e classificá-las (ou eliminá-las) num ficheiro que vão actualizando semanalmente? Isto permite manter aquelas receitas que de facto vale a pena, e outras para experimentar mais tarde.

 

Se têm mais dicas e sugestões para menus variados, é favor deixar as vossas sugestões nos comentários! :)

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.