Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

26 de Fevereiro, 2019

317 dias e a contar... até quando?

Vera Gomes

Em Abril 2018 entrou na Assembleia da República a petição que já referi várias vezes no Escadinhas (até porque sou uma das signatárias da mesma). Um dos pontos que pedidos é bastante singelo: isenção de taxas moderadoras para pessoas que tenham uma Doença Inflamatória do Intestino.  Nada de mais, mas que de facto pode ter um impacto substancial no rendimento do agregado familiar. Se poderiamos ter pedido mais? Cartamente que sim! Mas temos que começar por algum lado. E se acham que uma doença crónica á barata para se manter, vejam o seguinte caso:

 

A A. tem Crohn. Infelizmente está a passar um momento complicado, com carências nutricionais graves que carecem de tratamento urgente. Isto significa que é preciso ir à farmácia abastecer, não só com a medicação usual para o Croh  ou a Colite Ulcerosa (que são comparticipados entre 90 a 100%) como também todos os outros suplementos e medicação para garantir que as carências que apresenta são sanadas. A imagem abaixo, é nada mais nada menos que a factura. 

 

factura.JPG

 

Mesmo com medicação comparticipada a 100%, o total da factura ascende a 203,71€. E claro, depois é preciso administtrar a medicação que alguma terá que ser feita em ambulatório no hospital e obviamente terá que pagar a taxa moderadora para o efeito.

 

Já pensaram no efeito que isto tem no orçamento do agregado familiar? Já pensaram que o salário minimo em Portugal nem 600€ liquidos é e que 1/3 é facilmente gasto na farmácia e em tratamentos? Como fica o resto das contas? Coisas básicas como água, luz, renda de casa, alimentação? Percebem porque é que qualquer ajuda, por muito pequena que seja é bem vinda? 

 

E nos entretantos, enquanto os orçamentos familiares são depilados por gastos em saúde, a petição continua a aguardar discussão. Já lá vão 317 dias à espera... e a contar!

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Vera Gomes

    28.02.19

    Jorge,
    obrigada pelo seu comentário.
    Em relação a alguns pontos que levanta, sim, é certo que quem tem comprovada insuficiência económica tem isenções de taxas moderadoras. Assim como quem tem um grau de incapacidade acima de 60% que alguns dos doentes com Crohn e Colite Ulcerosa conseguem, porque estas patologias, infelizmente, não trazem outras auto-imunes consigo (caso contrário dificilmente conseguiram chegar aos 60%).
    É certo que despesas de saúde podem ser deduzidas em sede de IRS contudo, como bem afirma no seu comentário, o utente já teve que desembolsar o pagamento na farmácia e "adiantou" o imposto ao Estado que apenas fará o acerto no ano seguinte. Só que, tal como as taxas moderadoras, também os lugares a acerto em sede de IRS só se fazem acima de determindo valor. E os valores continuam a ter que ser pagos na farmácia...
    Nas reuniões que tive (junto com a outra signatária) com os grupos parlamentares e em sede de audiência na Comissão Parlamentar de Saúde, foi uma das coisas que alertamos e pedimos intervenção: doentes com Crohn ou Colite Ulcerosa têm necessidade de suplementos e medicação que não é comparticipada, ou sendo, não é a 90 ou a 100% como a restante medicação. Depois leva a facturas com totais "simpáticos" como se vê na foto. É certo que na petição pedimos a isenção de taxas moderadoras. Não é muito, e há doentes que ou por incapacidade ou por insuficiencia económica já não as pagam. Mas, felizmente ou infelizmente dependendo de como se queira ver a questão, não são a maioria. Isenção taxas moderadoras é pouco? Claro que sim! Mas temos que começar por algum lado, não?
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo

    01.03.19

    Desculpem-me meter na conversa mas se tem um vencimento baixo não desconta IRS no vencimento por isso não recebe o imposto que pagou nos medicamentos, etc...
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.