Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Super Coach do Cocó

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça." (ex-Escadinhas do Quebra Costas)

Super Coach do Cocó

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça." (ex-Escadinhas do Quebra Costas)

29 de Outubro, 2020

6 dicas para não comerem só frango com arroz!

Vera Gomes

123202672_926935437830905_4786318421269082660_o.jp

 

A malta acaba sempre por comer mais ou menos as mesmas coisas, cozinhadas mais ou menos da mesma forma. E chateia, enjoa, uma pessoa farta-se. Afinal, somos humanos não é? 🙄

 

Esta pilha de literatura culinária chegou cá a casa pelo cartão de crédito do Mais Que Tudo, que não tens restrições alimentares nem nada que se pareça, mas... É humano! Avizinham-se dias de comer os mesmos ingredientes mas cozinhados de formas diferentes, o que sempre dá a sensação de variedade e novos sabores. 🤤

 

Algumas dicas para não comerem sempre arroz branco com frango grelhado:

✔️ Leiam blogs de culinária. Lá pelo meio há sempre algo que com uma troca ou outra, dá para vocês;

✔️ Há supermercados/ lojas que têm revistas gratuitas. Por norma têm também receitas.

✔️ Sigam contas de Instagram de culinária como o @apitadadopai ou a @_filipagomes_  ou a @lowfodmapt. Sempre ajuda a terem inspiração e ideias para receitas fáceis e acessíveis para fazerem em casa ou até para marmitas!

✔️ Há boas contas de nutricionistas que vão explicando pontos muito importantes a ter em atenção na alimentação. Por exemplo: @sofiarocha.nutricionista ; @embanhomaria @_carolina.reis

Mesmo não sendo dedicadas a nutrição para doenças inflamatórias do intestino ou síndrome intestino irritável, aprendem boas bases para distinguir trigo do joio das inúmeras dietas e alimentos milagrosos que vos vão aconselhando

✔️ Não sejam nazis da comida nem mais papistas que o papa. O corpo humano e a microbiota do intestino requer alimentação saudável e variada como importante contributo para se manter em forma. Por isso, se não têm intolerância ou alergia alimentar comprovada, não façam dietas de restrição porque leram na internet que faz bem.

✔️ Salvo situações específicas que o vosso médico vos aconselhará, não gastem dinheiro em suplementação se não têm carências. Podem sempre consultar um nutricionista (registrado na Ordem dos Nutricionistas) para garantir que têm uma dieta equilibrada que vos garante a ingestão diária de nutrientes que precisam. Suplementar porque sim, é dinheiro deitado fora. Que... Podem usar para comprar um livro de culinária 😜

 

Buda da culinária esteja convosco! 🙏

27 de Outubro, 2020

Tens dentes de leite guardados numa caixa? Este post é para ti!

Vera Gomes

Masaharu Taniguchi (15).png

 

A Drª Joana Torres é a responsável do projeto conhecido como a Fada dos Dentes.

O objetivo deste estudo é perceber, através do estudo dos dentes de leite, se na DII existem exposições distintas durante as fases precoces de desenvolvimento. Para a avaliação dessa associação será realizada a análise de dentes de leite de pessoas saudáveis e pessoas com DII.

Se estás interessado em participar neste estudo, doando os teus dentes de leite, basta enviares um email para: estudo.fada.dentes@gmail.com e a equipa de investigação entrará em contacto contigo com todas as instruções necessárias!

20 de Outubro, 2020

O melhor e mais saboroso bolo de Outono de sempre!

Vera Gomes

IMG_20201018_175553.jpg

 

No fim de semana passado, imbuída pelo espírito do Outono e enquanto putativa candidata a Colher de Pau d'Ouro, resolvi atirar-me a uma receita de bolo de abóbora e noz. Eu sei: algo muito ousado e completamente fora da caixa sobretudo quando se trata da minha pessoa. Aquela pessoa que tem uma inaptidão para bolos indescritível.

Contudo, não desfazendo, o bolinho saiu muito bom, muito vistoso e com um paladar de comer e chorar por mais. Por ser tão bom e fácil de fazer (a prova é que até eu fui capaz de o fazer em bom) partilho aqui a receita. Já sabem que se tiverem alguma intolerância aos ingredientes, podem sempre procurar adaptar a receita para que possam comer sem problemas.

Então aqui vai! Vão precisar de:

  • 500gr de abóbora descascada
  • 400gr de farinha
  • 200grs de açucar (usei 100grs açucar amarelo e 100grs açucar branco)
  • 100gr de miolo de noz
  • 2 ovos
  • 1dl de óleo
  • 2 colheres de chá de canela em pó
  • 1 colher sobremesa de fermento em pó
  • essência de baunilha q.b
  • 1 colher de sobremesa de noz moscada

 

Modo preparação:

Bater os ovos, o açucar, a essência de baunilha, o óleo e a canela até obter uma massa cremosa. Juntar a abóbora ralada (eu usei um picador e está-se bem).

Triturar as nozes grosseiramente e juntar à massa anterior. Adicionar a farinha e bater bem.

Colocar tudo numa forma untada e enfarinhada e levar ao forno pré-aquecido, a 180 graus, durante cerca de 45 minutos. Podem sempre fazer o teste do palito para ver se já está pronto ou não.

 

IMG_20201018_163107.jpg

 

05 de Outubro, 2020

Outra vez arroz?! 5 dicas que vão mudar o vosso palato!

Vera Gomes

Post para Instagram Simples Minimalista (1).png

 

Na minha primeira crise de Colite Ulcerosa, nos tempos idos de 2007/2008, passei um ano em que praticamente só comi arroz seco (vulgo arroz branco), carne branca ou peixe grelhado. É muito giro e saudável e o camandro, até ao momento em que comes o mesmo dias a fio.

É certo que o arroz é aquela rolha magnifica para quando se tem diarreia (pelo menos comigo). Como boa portuguesa que sou, adoro arroz, mas pronto... também tenho os meus limites. Desde essa época que quando vejo arroz branco seco, confesso, torço o nariz. Tento dar-lhe algum sabor só para não ser tão insípido e escorregar melhor goela abaixo. É por isso, ávidos consumidores de arroz seco, que vos deixo algumas das minhas dicas magnificas para tornarem o vosso arroz mais prazenteiro e surpreendente:

 

1) Cenoura raspada

Esta é provavelmente aquela dica mais básica e que até a nossa avózinha sabe. Cenoura raspada antes de colocarem o arroz no tacho não vai dar um sabor muito forte, mas dará um gostinho simpático.

2) Ramo de salsa

Quem diz salsa, diz outra erva. Depois de colocarem a água no arroz, afinfem-lhe com um ramo ou dois de salsa. Se não apreciarem salsa, podem juntar outra erva que gostem.

3) Tomate

Descasquem um tomate (ou dois) e enfiem-no no tacho antes de colocarem o arroz. Cuidado com as sementes do tomate, já que dependendo do vosso quadro clínico pode não ser uma boa ideia comê-las.

4) Caldo

Cá em casa volta e meia fazemos caldos (caldo de peixe, caldo de carne), enfiamos em sacos de fazer cubos de gelos e metemos no congelador. Vantagem, sabem tudo o que lá está e podem ir usando nos vossos cozinhados. Incluindo no arroz para dar um saborzinho gostoso, né? (ler com sotaque brasileiro para efeito total)

5) Raspa de lima

Esta é aquele truque que deixa o arroz com um sabor fresco que até faz lembrar a música da Dina. Consite em raspar lima para o arroz, mexer bem e servir.

 

Desse lado, alguma dica que queiram partilhar para tornar o arroz seco mais atraente ao paladar?