Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Jamais estaremos sós!

Ajuda Digital.PNG

Comunidades de doentes online existem um pouco por todo o mundo. Portugal não é excepção. Na entrevista para a Revista Saúda foi outro dos tópicos abordados, simplesmente porque é importante que os doentes tenham um espaço de partilha e desabafos, longe dos olhares de terceiros. Acreditem: há coisas que só quem passa por elas percebe. 

 

Por lapso, a Revista Saúda escreveu que eu criei um grupo no Facebook. Contudo, a César o que é de César: o grupo foi criado pela Ângela, do qual faço parte desde 2016 e que em Janeiro 2018 fui convidada para ser uma das 4 administradoras do grupo (Desculpa Fred, mas vai mesmo no feminino que estamos em maioria). 

 

O Grupo "Doença de Crohn/ Colite Portugal" destina-se apenas a doentes que tenham nacionalidade portuguesa e/ ou residam em Portugal. Conta com mais de 2600 membros!

 

Para os Familiares e Amigos, criamos um outro espaço "Doença Crohn/ Colite Portugal - Familiares & Amigos", restrito também a não doentes, para que quem nos rodeia possam também ter um sitio para falarem à vontade, sem filtros, sem medos. 

 

E por último, visitem o site, onde tentamos disponibilizar informação gratuitamente e sensbilizar para as Doenças Inflamatórias do Intestino!

 

 

8 coisas que odeio nos hotéis

5 coisas que odeio em hotéis (1).png

 

É certo e sabido que desde que me mudei para Bruxelas tenho viajado bastante, sobretudo se somar as viagens pessoais com as viagens profissionais. Com os anos as viagens intensificaram-se e desde que comecei a ser activa na sensibilização pelas DII em Portugal que raramente passo um mês sem ter uma viagem. Coleccionei por isso alguns ódios de estimação ao longo das viagens a certos detalhes nos hotéis. E hoje, no meio de uma viagem profissional, é isso que gostaria de partilhar convosco. 

 

 

Adivinhem quem está outra vez em viagem esta semana?

Kit Sobrevivência.PNG

 

Ora pois bem, eu, claro está! A última viagem prevista num período de dois meses que acho que não consegui estar em casa uma semanina inteira sem ter uma viagem profissional. 

 

Sim, para o bom e para o mau, a minha actividade profissional requer um grande número de viagens. E nestes últimos dois/ três anos tem sido amiúde. Ora, com uma bela de uma Colite Ulcerosa não vou negar que é fácil. Tem alturas em que é, literalmente, uma merda! E para isso, há o kit de sobrevivência em viagem que falei na revista Saúda. Dependendo do destino vou ajustando.

 

Toalhitas, fralda, cuecas com fartura, medicação SOS são elementos que nunca faltam na minha mala de viagem. Dependendo do destino posso acrescentar umas latinhas de atum e umas bolachas torradas ou tostas, para compor o ramalhete. Em destinos dentro da Europa, é mais fácil uma visita ao supermercado e abastecer em vez de arriscar em supermercados. 

 

Já disse várias vezes, e volto a repetir: desde que em remissão, Crohn ou Colite Ulcerosa não é impeditivo de viajar. Apenas requer algumas adaptações. Em caso de estarem em crise, bom... saúde em primeiro lugar e tabém dependerá de duas coisas: 1) da opinião do vosso gastro sobre a vossa condição de saúde; 2) o destino para onde pretendem viajar!

 

Já há uns tempos escrevi no Escadinhas sobre viajar com uma Doença Inflamatória do Intestino (assim como no livro "conviver com as Doenças inflamatórias do intestino" podem ver estes e outros conselhos/ dicas). Por isso, escolham o vosso destino e ... SIGGAAAAAAA!!!

 

 

 

Viver com uma DII - Reaprender a comer

 

reaprender a comer.PNG

 

Alimentação...

Alimentação é provavelmente o maior quebra cabeças que existe nas Doenças Inflamatórias do Intestino. Aquele ponto em que suscita mais dúvidas e que todos, que sofremos com uma destas patologias, estamos mais vulneráveis a embarcar em conselhos que de úteis não têm nada (bem pelo contrário, podem ainda agravar mais a sintomologia). 

 

Foi por isso que na entrevista que dei para a Revista Saúda de Março falei um bocadinho sobre alimentação, a necessidade constante de reaprender a comer por causa das intolerâncias temporárias que a Colite Ulcerosa ou o Crohn trazem aos pacientes. Esta é uma das principais razões pelas quais não há uma dieta que dê para toda a gente, embora se saiba, que em períodos de crise em que se tem uma quantidade herculea de diarreias, uma dieta pobre em resíduos (ou seja, pobre em fibras) pode ajudar. Mas já não é o que todas as pessoas fazem quando têm diarreia?

 

Já no passado falei do tópico alimentação aqui no Escadinhas e nunca é demais reler os posts.

 

Nunca é demasiado tarde para os ler ou reler. Até porque quando o médico diz "pode comer de tudo" não é própriamente mandar abaixo feijoadas e cozidos à portuguesa como se não houvesse amanhã. Pode comer de tudo, dentro de uma alimentação equilibrada e variada, evitando as os alimentos em que comprovadamente se tem uma intolerância e reintroduzindo alimentos sempre que se esteja mais estável. Ah! e claro, há alguns quadros clinicos que requerem cuidado especial com a alimentação para evitar complicações: por exemplo, doentes com estenoses devem evitar fibras não soluveis (por exemplo milho, cogumelos) sob pena de ocorrer uma obstrução. O que é uma obstrução? Simplesmente um cano entupido (intestino com a comida que não passa), que pode levar a uma cirurgia urgente. 

 

Os mesmos posts são igualmente úteis a quem está a pensar a recomendar esta ou aquela dieta. Se não são nutricionistas certificados e especialistas nestes tipos de doenças, é melhor nem mandarem bitaites. 

 

 

Da série "A estupidez humana não tem limites" #4

download.jfif

 

Há já algum tempo que não escrevia nada nesta magnifíca rúbrica que nos faz desejar que as viagens para Marte rapidamente se tornem realidade.  Não é por falta de inspiração, que tenho coleccionado pérolas que um dia destes até escrevo outro livro só com as bacoradas que me vão dizendo. Contudo, esta semana, talvez por causa da Primavera, têm sido umas atrás das outras. Como a semana ainda não acabou e eu não tenho todo o tempo que gostaria para escrever posts, deixo-vos aquela que me fez soltar um "what da fuck?!" tão sonoro que o Nano até deu um salto e largou o osso. 

 

 

Pág. 1/2