Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

18 de Setembro, 2017

Bruxelas sem carros: uma utopia?

Vera Gomes

Ontem foi o dia sem carros aqui em Bruxelas! Apesar de viver por estas paragens há pouco mais de 4 anos, este foi o segundo ano que estava por cá para usufruir. Por isso, pegamos nas bicicletas e fomos passear pelas ruas de Bruxelas que normalmente estão entupidas de engarrafamentos. Foi uma hora e picos de dar às perninhas e (re)descobrir Bruxelas doutra forma. 

 

Bruxelas tem uma qualidade do ar péssima, em grande parte por causa da quantidade de tráfico que diariamente circula pela cidade. Há uns anitos, houve uma proibição de entrada de carros na cidade por causa dos níveis de poluição do ar. O irónico é que Bruxelas em particular e Bélgica em geral, têm uma excelente rede de transportes públicos.E os preços, comparados por exemplo com Lisboa, até são baratos. A rede de ciclovias claramente poderia melhorar, mas isso não impede que milhares de pessoas prefiram as bicicletas, quer faça sol que faça chuva. Nem as centenas de parques na cidade ajudam a que a qualidade do ar melhore. 

 

Claro que depois ouvem-se com mais frequência queixas sobre aumento de alergias dos que para aqui vêm viver, tosses e tossinhas o ano todo, comichões na garganta, etc. Mas pensando bem: será que é mesmo possível reduzir o número de carros que entram numa grande cidade? Quantas gerações irá demorar até que se prefira transportes públicos a carro próprio? Ou a carros ecologicamente mais amigáveis? Ou adquirir hábitos que poupem o ambiente e o Planeta?