Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Castigo

Tinha planeado passar pelo escritório hoje para terminar umas coisas para segunda-feira. Deu-me a preguiça e resolvi ir ao cinema adiando a passagem pelo escritório para amanhã. 

 

Cheguei ao cinema e escolhi o filme pelo que começaria mais próximo da hora a que lá cheguei: "Map to the Stars" (esta é a parte em que devem parar de ler se têm intenções de ver o filme e não gostam de saber como acabam. Depois não digam que eu não avisei....) 

 

O filme tinha dois casos de incesto e terminou com um homicidio e três suicídios. 

 

Acho que foi castigo pela preguiça...

La Bohème ao ar livre

 

 

 

Ontem foi noite de ópera ao ar livre. 

 

Todos os anos no final de Agosto, em alguns castelos belgas (castelos que no nosso conceito são mais palácios que outra coisa) organizam sessões de ópera ao ar livre nos jardins adjacentes ao edificio. Os belgas têm também o hábito de alterar um bocadinho o conceito da ópera, ou seja, em alguns casos a música e a letra são as originais, mas as encenações são completamente "maradas" e em nada se assemelham à ópera tradicional do fru-fru dos vestidos. 

 

Em alguns casos, conseguem ter um fosso para a orquestra. Ontem não tinham e por isso a orquestra estava numa sala no rés do chão (canto inferior direito da foto), de janelas abertas o que tornou a experiência ainda mais gira. 

 

Confesso que das óperas que já vi, a história da La Bohéme é a que menos me entusiasmou, embora ouvir ópera sob um céu etsrelado seja de facto magnífico. Senão: as noites de Verão belgas não são propriamente as noites de Verão que temos em Portugal. Portanto lá estava toda a gente de mantas e agasalhos bem fortes para resistir ao frio. Eu cá fui de casaco de Inverno (de penas e forrado a malha polar), botas quentes, encharpe e munida de termos de chá quente e uma frutinha para enganar o estômago e aquecer a alma.

 

O discurso antes de começar o espectáculo também foi muito animador e inclusive sacou uma risada aos espectadores: "no caso de começar a chover, iremos interromper o espectáculo. Pedimos o favor de não sairem dos vossos lugares." A bancada não tinha qualquer tipo de resguardo...

 

Para o ano há mais!

Ter filhos sub-18 deve ser qualquer coisa como isto.

Curso Intensivo de Alemão todos os dias das 8h30 às 13h45. Trabalho de tarde (que compensa a ausência da manhã e porque entretanto entrou-se em modo de crise...) seguido de TPC (aprox. duas horas/ dia).

 

Entre as aulas da manhã e o TPC ao fim do dia, quando terminas está mais que na hora de fazer o jantar e comer qualquer coisa porque o cérebro está em papa e já arrastas os pés. A única que apetece fazer é comer, arrastar até à cama porque no dia seguinte o ciclo recomeça. Não há tempo para mais nada. Absolutamente nada. 

 

 

Motoristas obesos não sabem conduzir

É esta à conclusão que chego como utilizadora dos transportes públicos (sobretudo autocarros) em Bruxelas. 

 

Hoje, eu e os restantes passageiros, viajamos numa constante luta pela vida. Mesmo sentados, o motorista - obviamente obeso - tinha um pequeno problema entre o pé e o travão. Era assim como uma relação de amor-ódio; de anda-cá-que-gosto-tanto-de-ti como não-te-posso-ver-à-frente-chega-para-lá. E nós passageiros ali no meio daquele impasse e sem qualquer tipo de negociador xpto nomeado pelas autoridades competentes para pôr fim ao conflito. E tal e qual vítimas inocentes, lá íamos a desesperadamente tentar agarrar qualquer coisa que nos impedisse de sair disparados pelo banco da frente. Mesmo quando o autocarro seguia numa fila de trânsito! Sim, porque motorista que é motorista, não só roça o volante na sua barriga de gauffres e frites como consegue fazer os passageiros voar pelo vidro da frente quando está numa fila de trânsito em para arranca!

Pág. 1/3