Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

05 de Janeiro, 2014

E voltamos à labuta!

Vera Gomes

Depois de uns dias na Tugalândia, cá ando eu a tentar voltar à rotina. Comecei o ano a descobrir que tenho que entrar às 8h30 (hora a que normalmente saio de casa) o que significa que o despertador terá que tocar meia hora mais cedo. Mas porque não começar novos hábitos?

 

Já voltei ao ginásio. As rabanadas da mamã são tão boas que teimam em não sair do corpinho e pressinto que isto vai demorar mais tempo do que gostaria a voltar ao normal. 

 

O Coelhone, ou Mr. Rabitt como é conhecido por estas bandas, voltou ao lar doce lar e creio que ele gostou de ter tido umas férias com mimos e festinhas no corpo 20h por dia, cenouras entregues diariamente, e mais de 10h de passeio diário. 

 

A lista de objectivos para este ando ainda anda a ser definida, mas para um deles já dei o meu primeiro passo: mandei a candidatura para voltar à escolhinha. Os restantes começarão a ser executados pouco a pouco : ) 

 

2013 não foi um ano mau. Bem pelo contrário. Consegui um emprego na área dos meus sonhos, mudei de cidade, país, conheci novas realidades, novos amigos, novas formas de viver. Quem disse que a mudança é má? Se 2014 for tão bom quanto 2013, não poderei mesmo queixar-me. Basta que crie as oportunidades para que tal aconteça! Por isso...mãos à obra!!!!

 

 

01 de Janeiro, 2014

Manifesto para 2014

Vera Gomes

 

Apesar dos miminhos que recebeste dos teus pais, apesar de teres amigos que se riem das tuas piadas e apesar de já teres passado por muita coisa… não caias em ilusões: tu não és especial.

 

Não és especial porque andaste naquela universidade ou tens aquele trabalho. Não és especial porque tens boa aparência ou porque há alguém que gosta de ti.

 

És apenas mais um em 7 biliões, por isso escusas de andar por aí como se o mundo te devesse alguma coisa. Essa cara de vinagre fica-te mal, e esse ar só estraga o ânimo à malta. A sociedade não te deve um trabalho, a família não te deve uma casa e os teus amigos não te devem atenção. Nada disso: o mundo não te deve nada, és tu que deves muito ao mundo.

 

Deves ao mundo o teu tempo, energia e inteligência. A tua melhor intenção e o teu melhor empenho.

 

Trabalhar porque acreditas que o teu trabalho é importante, não porque tens um estatuto a manter. Estudar pelo entusiasmo de aprender e não

apenas para passar nos exames. Namorar porque adoras a pessoa que está contigo, não porque não aguentas estar sozinho. Viajar porque queres viajar, não para teres fotografias para mostrar. Cuidar bem dos outros porque queres o bem deles, não para provares que és bonzinho.

 

Podes tentar fugir disto, claro. Podes ficar escondido atrás das cortinas e lamentar-te de todas as dificuldades que tens pela frente. Podes ficar à espera que alguma coisa te venha salvar…mas no fim tens apenas que decidir uma coisa:o que vais fazer com cada hora do teu dia?

 

O que raio vais fazer da tua vida?

 

O mundo precisa de ti. E tu precisas de viver o melhor que tens.

 

A tua vida é demasiado importante para depender de te sentires especial.

 

O caminho vai ser longo e difícil. Vais ser criticado e vais falhar… mas se apesar de cada falhanço, cada crítica e cada sofrimento continuares a dar o teu melhor… então é porque te tornaste em alguém especial.

 

 

in Inesperado

Pág. 3/3