Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Cai em tentação

Não, não comi chocolate. Isso não é uma tentação: é um hábito. 

 

Simplesmente... comecei a ver a Guerra dos Tronos e em 48h vi... 24 episódios.... E o problema é que é tão viciante que é impossível parar. Quando acaba um episódio entra-se numa ressaca (mesmo que seja por 30 segundos) e é obrigatório ver o episódio seguinte. 

 

Resisti durante tanto tempo... e pimbas! Cedi à tentação. Perdoem-me os académicos, mas a Guerra dos Tronos é a versão televisiva da Guerra de Peloponeso do Tucídides. Tem lá tudo! A geopolítica, as alianças, a estratégia, a diplomacia. Depois tem o sangue, a nudez, a morte, os zombies... Tudo para cativar a malta!

 

Astropolitica no facebook

 

 

pois é: o meu bebé chegou a esta modernices das novas tecnologias. e para segui-lo, basta clicar aqui e faz "gosto" : )

 

 

PS: Astropolitica é uma disciplina recente na área de ciência política e relações internacionais. Aborda a exploração espacial do ponto de vista político, geopolítico e de estratégia. Debate temas como segurança, militarização, diplomacia, entre outros.

 

Dia Sem carros ou Dia das Primeiras Vezes

Hoje foi o dia das primeiras vezes cá pelo burgo.

 

- Primeira vez que fui ao mercado de Midi. Acontece todos os Domingos de manhã, mas ainda não tinha lá posto os pézinhos. É tipo a feira de Carcavelos, mas... mais melhor bom! Ele há a roupa, os sapatos, as bijuterias, a comida, as malas, as frutas e vegetais, produtos orientais, produtos de higiene para a casa e para as pessoas (mesmo assim não tomam banho as vezes que deveriam). Eu cá sai de de lá com umas botinhas larocas para os dias mais frios e chuvosos, um casaquinho laroca e uma camisola que farei questão de usar brevemente. 

 

 - Primeiro crepe marroquino. No mercado do Midi há esta atracção: uma banca, estilo produção em série e ai da ASAE se passa-se por lá, onde podemos comer um crepe marroquino com tudo a que temos direito (queijo, mel, varios tipo de azeitonas, frutos etc) e ainda um copo de chá de menta. Estava à pinha!!!! Mas vale a pena esperar!

 

 

 

 

- Primeira vez em que vi o Menino que Mija vestido de basquebolista (foto no post que se irá seguir)

 

- Primeira vez no Parc Leopold (o que de facto é uma vergonha considerando que trabalho a menos de 5m de lá...)

 

- Primeira vez em 26 anos que ando de bicicleta. E ó meu deus, como estou enferrujada!!!! Houve ali altura que só ouvia as minhas pernas gritar: "se pedalas mais uma vez nós vamos para casa e deixamos-te aqui sozinha!" Mas foi muito giro e divertido e claro, em boa companhia.

 

 

 

Eu a tentar não morrer nem ser abalroada pelas largas centenas de bicicletas que invadiram Bruxelas durante o dia.

 

O sentido de humor de alguns : p

Berlim em fotos (ou quase)

 

 

Conforme prometido a algumas individualidades, aqui vão algumas fotos de Berlim. ADOREI Berlim! Acho que se pudesse escolher, morava em Berlim e continuava a trabalhar para quem trabalho. Não será possível trabalhar à distância e tal? Não? Bolas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Reflexões da hora de almoço...

Estava a cuscar a página do facebook dos Tesourinhos das Autárquicas  enquanto comia a minha bela sanduiche de almoço, e a pensar que Portugal está entregue aos iletrados e analfabetos. Erros dramáticos no português, palavras que nem sabem o significado, desastres de photoshop, slogan que "valha-me Deus", hinos de campanha (?!) em que se canta mais rápido para tentar meter a letra num acorde musical que só por milagre caberá ali.

 

Não deixo de conseguir pensar no que já disse várias vezes. Portugal irá ter um problema grave daqui a poucos anos com a falta de recursos humanos qualificados. Ao contrário do que aconteceu na década de 70/ 80, os novos imigras, qualificados (uns mais do que outros), não têm muitos planos para regressar a Portugal. Afinal... que nos espera se voltarmos? E quem fica.. quem fica daqui a uns anos não terá enfermeiros, médicos, advogados, arquitectos, engenheiros, professores... Quem fica terá de se contentar com os Tesourinhos das Autárquicas à frente do País. E não me parece que vá ajudar a que a malta que está a sair tenha vontade de regressar....

 

Pág. 1/2