Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Haja paciência!!!

Sobrevivi pelo menos da parte da manhã à fantástica greve de transportes que se vive em Lisboa e Porto. Sinceramente, chateia-me que os colaboradores de empresas que estão... na falência!!!!, (para as quais TODOS nós pagamos impostos para que o Estado meta para lá uns milhões) façam greves prejudicando os utentes (que por sinal já pagaram os passes e agora não podem utilizar o transporte e por isso chegar ao seu local de trabalho), prejudicando também a própria empresa que lhes dá sustento (e que está com dividas brutais) e lixando a vida a todos os que querem trabalhar!

 

E a desculpa de que é para ajudar os portugueses para que não haja redução de transportes públicos, uma notícia: Portugal não é só Porto e Lisboa. O sítio de onde venho, quando a malta quer deslocar-se de transportes fá-lo em transportes públicos de empresas privadas, que tem autocarros... vá... de hora a hora! Portanto, não venham os senhores da Carris, Metro Lisboa, Metro Porto ou STCP dizer que a greve beneficia todos os portugueses porque a única coisa que beneficia é o agravamento das contas da empresa e as farmacêuticas que o cidadão comum fica doido nestes dias para conseguir ir trabalhar. E relembro, que eu paguei para ter transporte todos os dias durante 30 dias, não paguei 30 dias de transporte para apenas poder usufruir...29 dias!

 

Já me dizia a minha mãe que o custa não é o trabalho, é o caminho!

Sinal dos tempos

De manhã no autocarro, enquanto um senhor tentava adquirir um bilhete a bordo, o motorista perguntava quase em desespero se alguém tinha duas notas de 5€ ou se conseguia trocar 20€ aos passageiros que estavam no autocarro e aos que iam entrando. Ninguém tinha trocado. Cá para mim... ninguém tem é dinheiro para trocar! 20€ nos dias que correm, é uma semi-fortuna!

Pág. 2/2