Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

18 de Fevereiro, 2006

Comprei uma estante...

Vera Gomes
Comprei uma estante. A casa necessita de arrumação e os meus livritos começaram a exigir mais espaço.
Comprei-a no Ikea. Linda! Soberba! Elegante! Montei-a enquanto o diabo esfrega o olho. Estante do chão ao tecto. "É perfeita" pensei eu. Esqueci-me foi de dar uns centímetros de manobra para a colocar de pé. Conclusão: tenho uma estante magnifica, montada, mas inclinada tipo Torre de Pisa por não a conseguir levantar! Daaahh!!!!
18 de Fevereiro, 2006

Música do dia

Vera Gomes
Precious dos Depeche Mode!

Sim, é verdade. Ando na onda Depeche. Já passei a onda Pink Floyd, Dire Straits, La Oreja de Vang Gogh, etc e tal. Agora é onda Depeche. (Sometimes it's hard to tell).

Precious and fragile things
Need special handling
My God what have we done to you
We always tried to share
The tenderest of care
Now look what we have put you through

Things get damaged
Things get broken
I thought we'd manage
But words left unspoken
Left us so brittle
There was so little left to give

Angels with silver wings
Shouldn't know suffering
I wish I could take the pain for you
If God has a master plan
That only He understands
I hope it's your eyes He's seeing through

Things get damaged
Things get broken
I thought we'd manage
But words left unspoken
Left us so brittle
There was so little left to give

I pray you learn to trust
Have faith in both of us
And keep room in your hearts for two

Things get damaged
Things get broken
I thought we'd manage
But words left unspoken
Left us so brittle
There was so little left to give
18 de Fevereiro, 2006

Hoje é Sábado

Vera Gomes
Hoje é Sábado. Dia dos semanários, das donas de casa se dedicarem às lides domésticas, dos putos irem à catequese e do Sr. Marcolino ver o jogo de futebol do Arrebenta Canelas contra os Ai Jesus Não Me Toques.

Para mim é dia de carregar baterias. Dia de euforia com um leve travo de melancolia. Estou convicta que esta mistura de emoções se deve à visita sempre (pouco) agrádavel do sr. Não Sei O Nome do Círculo de Leitores que mais uma vez me tirou da cama para me entregar as últimas actualidades livreiras promovidas pelo editor. A minha gata também gosta muito dele e por isso resolveu ficar na janela a miar-lhe de alto enquanto o gato lhe cheirava as calças na tentativa de perceber se o sr. teria passado por algum local de relevante interesse.
Hoje é também dia de pizza. Sim, eu sei: vai tudo para o rabo. Lá terei que fazer uma visita extra ao Holmes. (Este corpinho de sereia é para se manter) Ou talvez não. A vida é feita de pequenos prazeres e hoje o meu prazer é comer pizza e recordar momentos. Momentos que mesmo que tenham ocorrido há anos, nos ficam na memória com um doce travo a nostalgia. Tenho saudades dos fins de semanas loucos com o Joaquim e a Raquel, saudades das nossas longas conversas. A vida vai evoluindo. (Ontem disseram-me que as pessoas evoluem não mudam). Tenho saudades da Prima cá em casa a melgar-me o juízo, a fazer-me rir e a abraçar-me nos momentos maus (um abraço forte para ti). Tenho saudades de momentos de paixão que o tempo teima em não apagar e que não me importo. Recordar é viver. E eu gosto de viver recordando o que é bom de guardar. Gosto de viver o presente com intensidade, recordando e por vezes pensando no futuro.
Alguém me disse que um blog torna-nos transparentes. Hoje sim, estou transparente. Tão transparente que se os Caça-Fantasmas me vissem tentavam apanhar-me. A vida é feita assim: de momentos. E este é o meu momento! O meu Sábado! As minhas recordações! : ))
18 de Fevereiro, 2006

Amor a rodos!

Vera Gomes
Andava eu na descoberta virtual quando tropecei no Alfinete de Peito (http://alfinetedepeito.blogspot.com/) e num post sobre o dia dos namorados. Como achei por bem não dissertar sobre os corações nas janelas dos restaurantes, dos empregados que desligam o sistema cerebral a meio de uma frase e dos casaisinhos de namorados que tresandam a ocos, aqui fica um excerto do post do Alfinete local onde recomendo uma visita.

"AMOR ARDENTE

Dizem que a Paixão é "fogo que arde sem se ver", mas Aníbal Silva, não poderá dizer o mesmo. Recentemente, numa sessão de sexo escaldante com Lucinda, que metia muitas velas e respectivos candelabros, queimou a casa toda. Trata-se de um amor ardente, tão ardente, que Aníbal ficou todo queimadinho. Felizmente foram queimaduras em 13º grau.

Aníbal Silva e Lucinda Emanuel conheceram-se no verão de 2002 no Parque de Campismo do Monte da Caparica, e ambos afirmam que foi amor à primeira vista. Lucinda confidenciou-nos que mal o viu chegar ao parque e montar a tenda, nunca mais quis outra coisa. Aníbal por seu lado, também é louco pela sua babe.

Como prenda especial do Dia dos Namorados, Aníbal decidiu dedicar uma canção à sua mais bela. Como tal, compôs o belíssimo tema “Tu és o meu Amor!”, que promete destronar os Il Divo do top nacional de vendas.


Pensamento do Dia: O Amor é uma doença, quando nele julgamos ver a nossa cura. Ou o Amor é a cura para a nossa doença. "

Ainda mais um bocadinho de Alfinete de Peito (vulgo: Broche)

"O amor é livre por imposição, e o amar é em tudo contrário a sermos racionalmente perfeitos! De características vincadas, mas com representações heterogéneas, o amor não é uma opção de escolha, mas sim uma constante da nossa vida…"