Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

12 de Fevereiro, 2006

Domingo de sol....e "burros" à solta!

Vera Gomes
Hoje é Domingo. Dia de passear, mostrar a roupa nova, levar os miúdos a andar de bicicleta. E eu não fui diferente. Levei-me a passear. Lindo dia, sol amoroso, temperatura amena, Eça de Queirós acompanhou-me.
Como o dia começou cedo para mim, ando um pouco adiantada em relação ao resto do pessoal. Por isso, quando cheguei ao local estava quase deserto. Rio, Sol, pássaros, leve brisa. Mp3 a postos, Eça de Queirós ansioso. Lá me sentei na areia, recostada, e dediquei-me à minha leitura. As horas foram passando e foram chegando mais casais com os filhotes, mais velhotes de mão dadas. E claro: o ex-libris da tarde!!!! Carrinha cheio de penduricalhos no espelho retrovisor, música aos berros e toca a estacionar. Hora dia de sol, dia de arejar o mofo do popó. Abrir o capot para o motor respirar um pouco de ar fresco, abris as portas TODAS do veículo e presentear todos os transeuntes e os abancados com um magnífico concerto de música pimba (Marante entre outros). Ora, nem Mp3 me salvou! Era impossível ouvir seja lá o que for, porque aquela alma caridosa resolveu partilhar connosco os seus (nhec) gostos musicais. Qual civismo, qual quê?!
Bom, achei por bem passar pelo supermercado e regressar a casa. Afinal de contas aquelas 3 horas magníficas tinham terminado com aquele concerto do mais fino e elegante que pode haver. Pensava eu que aquela tinha sido a imagem do dia quando, me deparo com um carro parado na faixa de rodagem, com os 4 piscas ligados e para meu espanto o condutor estava encostado à traseira do seu veículo, com a porta do passageiro de trás aberta e… (meus caros amigos, é verdade, eu vi com estes olhos que um dia a terra há-de comer) … para meu enorme espanto, o Sr. estava a URINAR!!!!! Mas que raio de gente pára o carro em plena via pública, perturba o normal correr do trânsito para dar uma mija?! Dou graças por estar em casa, no aconchego do lar, com os meus bichanos que são muito mais civilizados que animais de duas patas.
12 de Fevereiro, 2006

Militares

Vera Gomes
Estava a ver o video que mostra os militares britânicos a espancar com uma certa brutalidade uns jovens iraquianos, sem motivos aparente.
Logo no inicio do video mostra os manifestantes a fugir (pernas para que te quero) e os militares, mais distanciados a correrem atrás dos supostos desordeiros. Eis que me lembrei de algo: mas minhas experiências como "pseudo-militar" comprovei que aqueles equipamentos pesam para "xuxu" e que andar com aquela "artilharia" toda não é fácil. A mochila só com o básico deve pesar tanto como as minhas pernas, mais arma, equipamento, botas (só em meias deve ser meio quilo em cada pé) etc. É de admirar a capacidade que os militares têm em correr, alcançar os manifestantes e voltar impávidos e serenos para terreno seguro e espancar quem acham que o merece. Vou mais longe: porque não dar-lhes um medalha olímpica? Não correm 42kms, mas considerando tudo o que levam creio que se pode estabelecer um paralelo. Fica a sugestão...
12 de Fevereiro, 2006

O papel das insónias no processo criativo

Vera Gomes
Meus caros amigos,
Hoje e porque é Domingo, resolvi escrever-vos sobre o papel das insónias no processo criativo. Fernando Pessoa afirmou que "Um homem pode escrever um bom soneto de amor sob duas condições - porque está consumido pelo amor, ou porque está consumido pela arte". Gostaria de acrescentar: insónias. Todo o processo criativo que seja digno desse estatuto nasce de uma insónia! Acordar às 4 ou 5 da matina, não conseguir adormecer, levantar e sentarmo-nos em frente à secretária e ao computador e começar a escrever sai sempre alguma coisa. Além disso, o silêncio da noite como companhia é automaticamente inspirador. Sem perturbações, sem interrupções podemos escrever, bocejar, rabiscar, comer, cantar, chorar que ninguém irá reparar, comentar ou mesmo "melgar".
A insónia ganha assim uma nova dimensão: torna-se numa clara vantagem em relação à vida comum de levantar às 7h e deitar à meia noite. Para tudo se quer imaginação e a insónia, com imaginação, pode ser muito bem aproveitada. Com a vantagem que se pode ver o nascer do dia, algo muito mais bonito de se ontemplar e que poucos o fazem.
12 de Fevereiro, 2006

Go go Telma!!!

Vera Gomes
Fica aqui uma mensagem de coragem para a Telma! Casa nova , ano novo, vida nova! Não olhes para trás. A mudança é sempre boa. Lembra-te que tudo é relativo: a duração de um minuto depende do lado da porta da casa de banho em que se está. Apenas tens de olhar em primeiro lugar para o lado positivo da coisa: agora que vives sozinha podes entrar e sair de casa sempre que queiras; podes estar o dia na cama sem teres que te preocupar com terceiros; podes ouvir a música que quiseres; podes andar nua pela casa sempre que te apeteça; podes cozinhar só se te apetecer (aconselho desde já a teres o número da Telepiza por perto); podes demorar o tempo que quiseres no banho sem que estejam a apressar-te... etc...etc...etc
Entraste numa nova etapa da tua vida, não tenhas medo de seguir em frente!