Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

Escadinhas do Quebra Costas

(con)Viver com Doenças Inflamatórias do Inflamatórias do Intestino. Aventuras, desventuras e muita galhofa! Que a rir custa menos e por isso "Sou feliz só por preguiça."

19 de Setembro, 2005

Se a estupidez humana pagasse imposto...

Vera Gomes
Com as medidas drásticas que o Governo tem vindo a tomar para reduzir as despesas e o monstro do défice começar a desfalecer, estou admirada com o facto de o facto do Executivo do José Socrátes ainda não ter criado o imposto sobre a estupidez humana. Com tanta estupidez que abunda em Portugal, este imposto seria a salvação dos cofres do Estado.
18 de Setembro, 2005

Frase do dia

Vera Gomes
Enquanto via um programa num canal generalista de qualidade dúvidavel, tive a oportunidade de ouvir a melhor descrição de um homem numa frase. É verdade! Por incrível que pareça no meio de tanta ausência de qualidade houve uma frase que sobressaiu. Foi ela: "Um homem grande, tão bem constítuido mas tem cabeça de bebé". Se há excepção à regra, creio que não a conheci. (Sim, Ferrus e tu não és excepção, portanto tira esse sorriso da cara.)
16 de Setembro, 2005

Viagens emocionantes

Vera Gomes
Quem quiser uma viagem emocionante pelas ruas de Lisboa, basta contactar o taxista que ontem me levou a casa. Estamos a falar de um senhor no pico dos seus quarenta anos, com um veículo que percorre as ruas de Lisboa como se estivesse a fazer rally. Volantinho desportivo, estofos de pele, um cheirinho agradavel. À primeira vista até parece que será uma viagem calma e relaxante. Errado! Trata-se de uma viagem em que o coração bate forte e que pedimos aos santinhos todos para chegarmos a casa inteiro. Ainda pensei em pedir gentilmente para que podia ir com calma que eu até nem tinha pressa. Mas confesso que tive receio de ainda piorar a situação. Já me bastava a luta constante para não andar a fazer slide na pele imaculada do banco traseiro e para não dar cabeçadas dos bancos da frente cada vez que um "azelha" se atravessava à sua frente. No final, nem quis os 25 cêntimos de troco! Queria era pisar solo seguro!!!!
15 de Setembro, 2005

Encontro imediato com a Sanguessuga II

Vera Gomes

Ainda mal refeita do meu encontro com a Sanguessuga umas semanas atrás, hoje encontrei-me com ela novamente. Apesar da aparência simpática, enganem-se os mais incautos! De simpática a Sanguessuga nada tem! Com os seus gestos ritmicos, passa algodão, procura a veia e pimba!!!! Eis que o metal frio e grosso penetrou na minha pele sensivel, atravessou a primeira parede e deliciou-se com o meu sangue fresquinho que nem uma alface!!! Então a Sanguessuga puxou a culatra atrás e senti a esvair-me em sangue para dentro daquele instrumento de plástico.


Com gestos mecânicos, sussurrou-me um "segure aqui" enquanto a suavidade do algodão se colava à minha pele. Colou um cromo no meu braço, deu-me os conselhos habituais e mandou-me comer.


Apesar da simpatia aparente, nada substitui a sensação de a Sanguessuga ter tirado um pedaço de mim de forma brutal!

14 de Setembro, 2005

Quase atropelamento

Vera Gomes
Há coisas que só a mim acontecem e quem me conhece sabe disso na perfeição. Por incrível que pareça, ontem quase atropelei uma cabeça! Sim, uma Cabeça!!!! Estava eu toda contente porque parecia que tinha conseguido um estacionamento perto do local onde precisava de ir, dei pisca (há que cumprir as formalidade rodoviárias), começo a fazer a manobra e eis que do chão surge uma cabeça seguida de uma camisola amarela! Meus caros amigos, foi por pouco que não coloquei o carro em cima daquela cabeça! O irónico da situação é que a cabeça não colocou sinalização para que nós condutores em busca de estacionamento soubessemos que afinal aquele espaço não era local de estacionamento mas local de trabalho. Viva a prevenção rodoviária em Portugal! Viva a segurança no trabalho!
13 de Setembro, 2005

Energias renováveis

Vera Gomes

Meu caros amigos,


tendo em conta que o preço do petróleo sobe a olhos vistos, que o aquecimento global existe apesar de os EUA não o reconhecerem (e depois têm pequenos "acidentes" como o Katrina), que o segundo a Quercus, o ar em Lisboa é inrespirável, não pensam que as energias renováveis deveriam ser uma aposta? Não julgam que os transportes públicos deveriam melhorar de forma a cativar os utentes? Não se trata de pensar só no ambiente mas também na economia doméstica e no futuro dos nossos filhos. Trata-se de pensarmos na qualidade da nossa saúde, na poupança diária que fazeríamos e no respeito pelo nosso Planeta. Os recursos não durarão para sempre, e é urgente que se comece a pensar em alternativas aos tradicionais recursos energéticos.

12 de Setembro, 2005

Obesidade infantil

Vera Gomes

Agora que estou de regresso a terras lusas, tenho bastantes reflexões para partilhar com os meus caros leitores. Não há nada como uma viagenzita para darmos largas à nossa capacidade introspectiva.


Hoje, quero partilhar com vocês um drama real da nossa sociedade, mas que todas as campanhas não surtem efeito. Estava eu no aeroporto de Lisboa e reparei numa miúda não com mais de 12 anos. que deveria ter uns 70/80kgs. Ou seja, criança obesa!!!! Contudo, o que me chamou a atenção é que os papás da referida miúda lhe derem um saco ENORME de chocolates para ela se ir entretendo! Mas qual a responsabilidade destes pais que não zelam para a saúde dos seus filhos? Será que não pensam nos efeitos nocivos na saúde e na vida social dos seus filhos?