Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Querem saber como mudar de look rapidamente? Então este post é para vocês!

16864762_1662656030428112_3322680948777697808_n.jp

 

Esta sou eu. No alto dos meus 47- 49kgs que é o meu peso normal e por onde normalmente estaciono quando não ando a correr para o wc ou com efeitos secundários da medicação.

Agora, respirem fundo,  peguem nas pipocas, porque depois de estabelecido o que é normal, vou-vos mostrar as restantes variações da minha pessoa num período muito específico que passei há uns anos. prontos? De certeza? Aqui vai!

 

 

Tenho muitas saudades tuas

Foi o meu companheio incondicional durante 8 anos. A minha relação mais longa até hoje. Era uma pequena bola de pêlo quando chegou lá em casa e depressa se tornou num coelho super calmo e tranquilo que deambulava pela casa. Viajamos juntos, trocamos confidências e partilhamos sestas no sofá! Ainda hoje não sei o que fazer quando com aquele restinho de cenoura quando cozinho. Roía carteira dos amigos, fios de todos os aparelhos eléctricos lá em casa e adorava mastigar papel de revistas e j

 

Lembram-se do MacGyver?

 

 

Aquele tipo dos Domingos à tarde que com um canivete, dois clips e um relógio resolvia tudo e mais alguma coisa?

O tipo que para dar um murro era um desajeitado, mas que tinha miolos para tudo e fazia-nos ter esperança que se fosses marrão na escola e convencesses os tues pais a darem-me um canivete suiço no Natal,  irias longe na vida?

 

Esse mesmo. Na Bélgica continua a passar aos Domingos à tarde. E hoje (re)vi um episódio. Contudo, uma pergunta assaltou-me o espírito: alguém sabe qual a actividade da Phoenix Foundation? A suposta entidade patronal do MacGyver?

 

 

 

Ia sendo atropelada pelo carteiro....

 

O meu pai, reformado desta profissão, instaurou esta moda de nadar cima e baixo do passeio, aqui por estas bandas. Lembro-me das histórias que iam acontecendo quase diariamente (sim, porque cá em casa nunca faltaram histórias engraçadas enquanto o meu pai não foi reformado). A maioria consistia no quase atropelamento de transeuntes incautos pelos passeio da terrinha. Civis, agentes da autoridades, o meu pai tratava a todos de

forma igual! Haja coerência! Hoje ia sendo eu.

 

Ia eu toda feliz e contente pôr dinheiro no parquimetro que fica estrategicamente colocado numa esquina, quando quase que sou atropleada pelo carteiro. De mota. No passeio! No passeio senhores!!!

 

 

E com este episódio, lembrei-me das histórias do meu pai, e das situações (quase) anedóticas que iam acontecendo.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Onde compro livros

Blogs de Portugal

Bloglovin